23 de ago de 2010

Acredite na mudança

É possível fazer uma política diferente?
Andral Tavares Filho Acha que sim. E por isso é candidato a deputado estadual pelo PV.
Advogado e professor universitário em Campos, Andral é filho de Juiva e do saudoso radialista e professor Andral Tavares. Em sua carreira exerceu várias funções, como presidente da 12ª Subseção da AOB, conselheiro da OAB-RJ, presidente da Câmara Junior de Campos e da Câmara Junior do Brasil, presidente do Grussaí Praia Clube e chefe da delegação que representou o Brasil num evento na ONU.
Andral entende que é preciso mudar. Apesar da montanha de dinheiro dos royalties, Campos não progride. E não dá para acreditar em mudança com os mesmos personagens de sempre.
Mudar significa eleger nomes novos na política, mas velhos conhecidos da população pela sua competência e integridade. Ao lado de Marina Silva, como presidente e Fernando Gabeira, como governador, Andral Tavares Filho vai defender o desenvolvimento sustentável de Campos e do estado do Rio de Janeiro, tendo como princípios básicos a transparência, o respeito pelo dinheiro público e o cuidado com o meio ambiente.
Quem acredita na mudança vota em Andral para deputado estadual.

14 de ago de 2010

Caminhada hoje.

O presidente do PV Campos e candidato a Deputado Estadual Andral, juntamente com uma grande e animada comitiva, percorreu hoje pela manhã algumas ruas do Centro da cidade de Campos.
Na entrega de panfletos e adesivos, nos cumprimentos aos amigos e conhecidos dos amigos, assim como nas paradas para explicar o porque da candidatura, pudemos constatar a revolta de nosso povo com o que tem acontecido no meio político, principalmente local, e o quanto é importante nossa atuação.
Alguns diziam que não votavam mais em ninguém; outros que "odeiam" política; mas encontramos também muitas pessoas que se manifestavam dizendo ..."finalmente teremos um candidato sério" e ..."vamos ver se com ele as coisas melhoram."
Encontramos também quem se recordasse do saudoso e exemplar Sr. Andral:  ..."se seguir o exemplo do pai, será maravilhoso." e ..."conheci o pai dele e sei que ele é boa gente."
A caminhada foi extremamente proveitosa e nos encoraja a seguir com toda firmeza até a vitória.

12 de ago de 2010

Jornalista ou marqueteiro?

O programa que tenta mostrar que é como uma página aberta, precisa decidir se vai ser jornalístico ou institucional. Isto porque já faz tempo que está a serviço da propaganda pró governo municipal, tendo frequentemente a participação travestida de entrevista de diversos secretários escalados para falar bem (claro) do atual grupo administrativo.
Hoje, diante de reportagens acerca da apreensão pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), com apoio do Grupo de Apoio à Promotoria (GAP) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de três ônibus com funcionários, DAS e contratados da PMCG que foram participar de evento partidário no Rio de Janeiro, o Secretário mais uma vez saiu em defesa do governo. Chegou a debater no ar com um ouvinte que dizia se chamar Jorge e que era terceirizado da prefeitura, tendo ainda afirmado que quem não atendesse aos chamados dos seus chefes eram ameaçados com demissão. Como se tivesse na mais isenta das posições o Secretário disse quase que cinicamente que quem se sentisse constrangido ou acuado era só procurar o Ministério Público e denunciar.
E aí eu tenho que dizer:
- Há, há, há!!!
Quem está sob ameaça, principalmente de perder o meio de sustento de si e de sua família, vai procurar alguém para dizer que está sendo pressionado?
Não vai e os governantes, que adoram os contratados, sabem muito bem disso. Não é diferente com o grupo atual. Não é a toa que existem pelo menos três empresas que terceirizam funcionários para quase todas as áreas da prefeitura. São, em muitas vezes, cabos eleitorais pagos com o dinheiro público, sob o pretexto de estarem prestando serviços para a população.
Há bastante tempo o grupo atual (e não estão sozinhos) faz com que boa parte dos eleitores e seus familiares dependam das benesses públicas, fazendo com que haja uma seqüência infame que diz: preciso que eles ganhem novamente a eleição para eu e minha família continuarmos a ter o que temos hoje.
O secretário-apresentador-defensor tenta negar, mas até os menos engajados sabem do poder que um empregador do tamanho da prefeitura de Campos, que mantém um número tão elevado de pessoal que pode perder seu emprego a qualquer momento, tem para obrigar aos seus empregados a participarem de eventos que interessa ao partido e ao governante.

Marina diz que o Brasil não precisa de gerentes

A candidata do PV negou que esteja fazendo discurso de conveniência para atrair doadores, apesar da presença de seu tesoureiro


Em busca de doadores de campanha, a candidata do PV à Presidência, Marina Silva, almoçou nesta quarta-feira (11) com empresários da Câmara Americana de Comércio (Amcham), que também engloba empresas da China, Holanda e Alemanha. Dividindo a mesa com representantes de companhias como DuPont Brasil e Odebrecht, a senadora reiterou a necessidade de uma visão estratégica para o próximo presidente, voltando a atacar o perfil gerencial dos adversários Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).
 

“O Brasil é melhor que os currículos. Quem tem visão estratégica consegue reunir os melhores gerentes em torno do seu governo. O século 21 precisa de um novo tipo de liderança”, afirmou a candidata. “Se nós não entendermos que os problemas são multicêntricos e que vai exigir lideranças multicêntricas, nós vamos continuar achando que existe um salvador da pátria. Não existe um Messias para nos salvar”, enfatizou a candidata.
Como se espera de um encontro com empresários, os assuntos de economia e reforma tributária dominaram os discursos. A candidata comemorou a atual situação do País, mas defendeu que os ganhos de inclusão social do governo e a estabilidade econômica sejam revertidos para a sociedade. “O presidente Lula e o Fernando Henrique tiveram visão estratégica, cada um ao seu modo. Nós não podemos fazer com que essas conquistas sejam de um partido ou de um governo. Sem negar a autoria, nós temos que assumir como ganho nosso, ganho da sociedade”, afirmou.
Além de citar Lula e FHC, Marina também lembrou de Juscelino Kubitschek ao falar de educação e gargalos de mão de obra qualificada. Segundo a presidenciável, é preciso fazer uma reforma do ensino no Brasil, que dialogue com as necessidades do mercado. “Se Juscelino fez o esforço de industrialização no País, precisamos fazer um esforço para a educação que o Brasil precisa, para gerarmos oportunidade de igualdade para todos”, enfatizou.
Apesar da fala centrada nas questões pertinentes ao universo empresarial, Marina Silva negou que esteja fazendo discurso de conveniência para atrair doadores de campanha. “Tudo que eu disse na mesa também disse no púlpito, com aquela lógica de dizer sempre no privado aquilo que se pode gritar nos telhados”, rebateu a candidata.
Mesmo com a negativa da candidata, chamou a atenção dos jornalistas a presença do ex-presidente do Citibank, Álvaro de Souza, que hoje trabalha como auxiliador na arrecadação da campanha de Marina. Ele é um dos responsáveis pelas frentes de contribuição de fundos para a campanha, que inclui a contribuição pela web e o corpo-a-corpo feito pelo vice, Guilherme Leal, outro responsável por passar o chapéu entre os empresários amigos.
Leal, aliás, também esteve no evento desta quarta-feira, completando a mesa encabeçada por Marina e o candidato ao Senado por São Paulo, Ricardo Young.

Fonte: Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo | 11/08/2010 16:28 http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/para+empresarios+marina+ataca+perfil+gerencial+de+serra+e+dilma/n1237745668247.html

Para empresários, Marina ataca perfil gerencial de Serra e Dilma

A candidata do PV negou que esteja fazendo discurso de conveniência para atrair doadores, apesar da presença de seu tesoureiro

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo | 11/08/2010 16:28
Em busca de doadores de campanha, a candidata do PV à Presidência, Marina Silva, almoçou nesta quarta-feira (11) com empresários da Câmara Americana de Comércio (Amcham), que também engloba empresas da China, Holanda e Alemanha. Dividindo a mesa com representantes de companhias como DuPont Brasil e Odebrecht, a senadora reiterou a necessidade de uma visão estratégica para o próximo presidente, voltando a atacar o perfil gerencial dos adversários Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).

9 de ago de 2010

Artistas com Marina

O site da candidata a presidência da República Marina Silva (aqui), traz, além de um depoimento, a cantora Adriana Calcanhotto cantando um jingle em homenagem à candidata. "Ela é da Silva, ela é da selva, ela é Marina, vamos com ela", diz um trecho da canção. Adriana parafraseia o presidente Lula e diz que "nunca na história desse País tivemos um pleito tão democrático e com pessoas tão preparadas". "Acho que os outros candidatos são muito preparados, mas o momento agora é da Marina", afirma.
Em outro vídeo disponível no site de Marina, Maria Bethânia diz "ter a alegria de votar na Floresta Amazônica". "Marina, espero você. O Brasil precisa da sua alegria, da sua força, do seu olhar sereno e tão forte, do seu coração do meio da selva, da sua novidade para esse País. A filha da floresta vem aí", afirma.
Já Lenine destaca a origem e o perfil de Marina. "Eu acho extremamente revelador hoje o Brasil, nesse momento em que a gente está, ter uma candidata com o perfil que ela tem. É extremamente revelador sendo ela quem é, vindo de onde vem. Eu sou mais Marina, eu sou mais um."
fontes: http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes e http://www.minhamarina.org.br/home/home.php